quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A teimosa da sensação


Hoje tive a sensação
Aquela, teimosa
Boa e ruim

Diacho!

Tinha sumido
Mas a sem vergonha voltou
Como se’u não tivesse mandado ela pra’s bandas de lá

Se tudo pode acontecer, pode acontecer de ser
E não é?
E se não for, não é
Tem frustração não, bobagem
Não há bicho que me faça ter medo de viver, nem tão pouco do que possa acontecer
Mera conseqüência

A gente aprende e faz ficar maduro, pronto pra ser apanhado do pé
Depois faz é arrancar bons sorrisos, pelo o que era tenebroso
E hoje o tal do tenebroso?
Ah... hoje é nada!
Pronto
Tô pronta

O mesmo dia que passa rápido parece durar uma década a cada hora
Coisa de “faniquito”
Logo passa
Vamos no sincronismo do universo, vivendo, porque viver é bom demais
E a sensação logo volta pra’s bandas que ela tem de ficar.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Sou


Sou o que sou, não sou o que os outros querem; ou sou
Sou nada e sou tudo
Sou uma jangada no mar, sem tempo previsto de parar, sem rumo _os rumos vem a mim no último momento, na melhor hora_
Sem pressa sigo
Sigo com a certeza, com clareza, com grandeza e dedicação ao meu pequeno/grande coração
Dedicação a meu modo
Modo mancinho, modo tranqüilo, sem pressa
Sou o agora, o depois
Sou o que acontece, faço parte de tudo que gira sem parar
Sou a cidade, a floresta, o céu e a terra, o fogo e a água, a alma e essência
Sou tudo o que desejo ser, sou o otimismo
Sou menina e mulher, juvenil, adulta
Sou emoção, razão, coração limpo, prontidão, imprevisão, previsão
Parte de mim é dia
Outra’parte noite
Me goste “devagarinho”
Admire meu amor pela liberdade, todas elas possíveis
Pois sou um passarinho
Sou sorriso, sou afeto, sou alegria, sou dengo, sou paz
Constelações me fazem viajar
Uma viagem sem tempo previsto para voltar
E nessa viagem...
Continuo, a cada vez mais, amando ser quem SOU!

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Olhares




Olhares que capturam lentamente detalhes que passam desapercebidos por outros. Olhares que capturam momentos sem explicação, momentos que em fração de segundos... acabam, como um bater de asas de uma libélula, (libélulas são fadas). Para uns, momentos sem nenhuma importância, para outros, momentos que dizem tudo. Olhei, imaginei, captei, selecionei, publiquei na página da vida, grande importância singular, captação da “aura”.
Recordações...

Olhar, observar, criar, captar momentos indispensáveis, entender o desentendido. Cada ser tem olhares a sua maneira.
video

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Coração pensante

Pensamento que tira meu sossego
Chega “aguniá”
Rouba meus pensamentos com doce sutileza; ao mesmo... como uma devastação da alma
De um carinho de dar gosto, gosto que ficou em mim
Um “chero” bom de fechar os olhos e sentir mesmo quando está longe
De você eu nada sei...
...Imagino
Entrou de mancinho, ligeirinho, suave como uma brisa da manhã, aquela que vem lá do alto da montanha
Que faz suspirar
Que passa em algumas horinhas e faz nos sentir bem o resto do dia
A noite vem...
...Sei que a mesma bela e fascinante lua que me acompanha aqui, te acompanha lá, me faz sonhar
Me despertou, me trouxe de volta, me fez acreditar de novo
Não quero para mim;
E se fosse assim essa magia teria fim
Deixa assim, assim é para sempre
É bom imaginar, sem “estragar” com as verdades ocultas
Flutuante, magia e encanto

Voa, voa que faz bem, satisfaz a alma!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Sonhar


Um dia sonhei
Com lugares, pessoas, coisas
E por um bom tempo esses sonhos ficaram dormentes no meu peito, rasgando, deixando tudo cinza e sem graça, sem pé nem cabeça
Um dia eles voltaram
Hoje tudo tem mais vida, mais sentido, mais alegria e emoção
Tenho comigo que temos mais que tudo que seguir os nossos valores, pois são únicos
Somos os únicos responsáveis por optar pelo sistema injusto e maldoso que a sociedade impõe... ou
Optar pelas nossas verdades, prazeres, alegrias
Verdades únicas e pessoais
E isso é só o começo para as grandes realizações que estão por vir!
Pé no chão, sol vermelho, céu tão azul que dá vontade de sonhar e voar pela janela e a mais bela e indispensável... LIBERDADE!